COMO CUIDAR DAS PULGAS NO SEU ANIMAL DE ESTIMAÇÃO

Por Jaqueline Santos

Quase todos os donos de cães e gatos já enfrentaram uma infestação de pulgas em seus animais. Acabar com elas não é nada fácil, as pulgas se multiplicam em uma velocidade muito rápida, se a infestação não for combatida no inicio, o problema pode tomar proporções assustadoras.

A pulga apenas se alimenta no cão ou no gato sugando seu sangue. No ambiente ela coloca os seus ovos. Na presença de calor e umidade (nas estações mais quentes, principalmente) os ovos eclodem, viram larvas que se alimentam de poeira e detritos; as larvas viram adultos, que atacam os animais em busca de alimento. Assim, o pobre animal é apenas o culpado indireto por uma grande infestação de pulgas. Seu erro foi trazer a pulga para casa. O ambiente é o responsável por “produzir” aquelas milhares de pulgas que tiram o sossego dos cães e de seus donos.

Sabendo disso, concluímos que tratar apenas o animal (cão ou gato) numa grande infestação é um erro. Você vai estar matando algumas pulgas. A maior quantidade delas está nas frestas do piso, pilhas de papéis, tapetes e carpetes, na forma de ovos, larvas ou pulgas adultas.

 Como Acabar de vez com a praga?

Dê um banho anti-pulgas no seu animal e procure certificar-se que foram mortas praticamente todas as pulgas. Após secá-lo bem, solte-o na casa, mas não o leve para a rua. Uma hora mais tarde, verifique se o seu cão está com pulgas. Considere:

uma ou duas pulgas foram encontradas : seu cão tinha uma pequena infestação e, provavelmete, pegou num passeio. Neste caso, o ambiente ainda não está infestado.

várias pulgas foram encontradas : sua casa possui um ou mais focos de pulga. O ambiente tem que ser tratado, assim como o cão.

CONSULTE O VETERINÁRIO antes de usar qualquer produto anti-pulgas;

Banhos anti-pulgas devem ser dados com o cuidado do animal não lamber o produto durante o banho. O mesmo para o uso de talcos. A ingestão do produto pode causar intoxicação;

Fonte: http://www.aunimal.hpg.ig.com.br/controledepulgas.htm

Anúncios

O Que São Animais Silvestres – Parte 1

                                                                                         Por Dayane Barreto

A exportação de animais silvestres movimenta mais de um bilhão de dólares e comercializa cerca de 12 milhões de animais por ano. O Brasil está entre os países que mais exporta esses tipos de animais.

O animal silvestre não é o doméstico. Entenda essa diferença:

Os animais domésticos estão acostumados a conviver perto de pessoas, como é o exemplo dos gatos, cachorros, galinhas, entre muitos outros.

O animal silvestre é retirado da natureza e reage à presença do ser humano. Por esse motivo, eles têm dificuldades para crescer e se reproduzir em cativeiros, por terem se acostumado a sua vida na natureza, viver livre, como é o exemplo dos papagaios, arara, mico e o jabuti, são todos animais silvestres.

Muitas pessoas comerciam esses animais silvestres, esse tipo de comércio é ilegal. Ao traficar animais, você os tira de seu habitat natural, que é a natureza, para prendê – los e vendê – los, com o objetivo de ganhar dinheiro. O tráfico de animais é o terceiro maior do mundo, só perde para o de drogas e armas.

Muitas pessoas pensam:  Mas o que o tráfico desses animais irá me causar?

Todos os seres vivos dependem da natureza para sobreviver, pois dela obtemos nossos alimentos e até remédios. Esses animais fazem parte da cadeia alimentar, alguns estão em extinção ou muitas vezes se tornam raros, tudo isso compromete o equilíbrio da natureza.

Ter animais silvestres em casa, não significa uma forma de amar a natureza, esses animais são felizes em seu habitat natural, além disso, alguns podem transmitir doenças como a malária, febre amarela, herpes e diversas viroses desconhecidas pelo ser humano, que podem ser fatais para os animais. Ter esses animais como bichos de estimação é ilegal conforme a Lei de Crimes Ambientais, nº 9.605 / 98. Ela proíbe a utilização, perseguição, destruição e caça de animais silvestres, prevendo pena de prisão de seis meses a um ano, além de multa para quem a desrespeitar.

Não percam a PARTE 2, na próxima semana. Onde falaremos como acontece o tráfico de animais silvestres e seus riscos.

Equipe Entra que é o Bicho!

Fonte: http://www.itu.com.br/conteudo/detalhe.asp?cod_conteudo=12790

Fotos: Google

Animais de estimação também precisam de cuidados especiais com a chegada do inverno

Por Erika Gracy

                       Os animais, assim como nós precisam de cuidados especiais nas  épocas frias, como o outono e o inverno.

São cuidados com o ambiente, o banho e a pele do animal, que em períodos de temperaturas mais baixas devem estar bem agasalhados, para evitar gripes ou alergias.

Cobertores, caminhas, almofadas, cortinas para as casinhas que ficam em local aberto, vale tudo para manter seu bichinho aquecido nesse inverno.

Então não se esqueça, antes de sair de casa verifique se seu animalzinho está protegido do frio.

SPA Para Cães Oferece Aulas De Natação

 

                                                                                       Por Jaqueline Santos

Além de banhos e bem – estar para os cães, alguns SPA oferecem a eles, aulas de natação, tudo isso visando aos animais mais conforto e qualidade de vida , possibilitando um melhor convívio do animal com o dono.

Cão pequinês faz aula de natação em spa em Los Angeles.

Um spa canino em Los Angeles, na Califórnia (EUA), oferece aulas de natação para cães. Segundo o site do “K9s Only”, cada aula de natação custa US$ 40, cerca de R$ 71,00. Mas, se o cliente optar por um pacote de cinco aulas, o valor fica em US$ 112,50, cerca de R$ 201,50. O spa também conta com esteira para cães -a aula sai por US$ 25 e outras atividades que o cliente optar para a tranquilidade e bem – estar de seu animal de estimação.

Fonte e foto: Globo.com

 

Cães Entram Em Clima De Copa Do Mundo

                                                                                        Por Dayane Barreto

Com a copa do mundo da África cada vez mais próxima, as pessoas já estão entrando no clima, mas se você pensa que só as pessoas estão se produzindo, você está enganado, até os cães estão entrando na torcida. Além das roupas verdes e amarelas, eles podem ser enfeitados com tintas e alguns acessórios.

Pinturas temáticas em animais estão entre as novidades da 10ª edição da Rio Vet, um dos mais importantes eventos veterinários na América Latina.

O evento ensina como pintar seus animais para ficarem bonitos e torcer pelo Brasil com estilo.

Cães pintados para a Copa

Charlotte, a primeira poddle a ser pintada, ganhou uma tinta específica para cães, que não agride a pele dos animais. Que tem a duração média de quatro a cinco banhos. Para isso é preciso ter técnicas e habilidades.

Cães pintados para a Copa 2

Mas se você quer fazer a pintura em seu animal em casa, pode utilizar as famosas tintas em spray, a única diferença é que essas tintas saem no primeiro banho.

Além das tintas pode usar a criatividade e torcer com estilo, utilizando bandanas, acessórios, faixas e muito brilho.

A feira vai do dia 20 ao dia 22 de maio, é direcionada a profissionais, empresários e estudantes do ramo.

 

 

Para mais informações acesse o site www.riovet.com.br

Fonte e fotos: Globo.com

 

 

Serpentário do Instituto Butantan

                                                                                        Por Dayane Barreto

O Serpentário foi inaugurado em 1914 com o intuito de abrigar animais enviados ao Instituto Butantan, para se realizar as extrações dos venenos necessários para produção de soro, com o DNA desses animais. A prioridade inicial do Instituto era produzir soros antivenenos com especificidade para serpentes da América do Sul.

Hoje é produzido soros antitóxicos e antivenenos, soro antilonomia (lagarta que produz veneno fatal), antiveneno de abelha e soro anti-botulínico. Soros esses que hoje são oferecidos para todos os países.

 Jararaca e Jararaca pintada

O Serpentário atendia duas finalidades: local de manutenção dos animais e atração para o público visitante.

Hoje a maioria dos animais encontra-se alojado em salas climatizadas com cuidados adequados à finalidade de produção de venenos. Essa área foi reformada procurando oferecer aos animais uma ambientação parecida com seus ambientes naturais.

O centro de pesquisa biomédica da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, o Butantan oferece atendimento aos acidentados por animais peçonhentos, como cobras, escorpiões, aranhas entre outros.

 

Mão na obra só no Butantan

A atividade realizada todas as quintas – feiras das 14h30 as 15h30, em frente ao serpentário, tenta promover aos visitantes o contato com as serpentes da fauna brasileira, com o objetivo de promover educação ambiental, tirar dúvidas sobre, seu comportamento e o que fazer em caso de acidentes com esses animais.

Endereço: Avenida Vital Brasil, 1500 – Butantã, Zona Oeste

telefone:3726-7222/3726-1505

De terças a domingos, das 9h as 16h30

Preços: Todas as quartas – feiras, a entrada é gratuita, os demais dias adultos pagam R$ 5,00, crianças de 7 a 12 anos e estudantes pagam R$ 2,00, família (casal mais dois filhos menores de 12 anos) paga R$ 5,00. Menores de 7 anos e maiores de 65 não pagam entrada.

Local possui estacionamento.

Para saber mais informações acesse: www.guiabutanta.com/butantan/oficial.htm

Fontes e fotos: www.butantan.gov.br

 

 

Incêncio No Instituto Butantan Destrói Acervo De Cobras

                                                                                       Por Dayane Barreto

O prédio que abrigava a maior coleção de cobras, aranhas e escorpiões do Instituto Butantan sofreu um incêndio no último sábado dia 15, o acervo tinha cerca de 85 mil exemplares. A Secretaria de Segurança Pública (SSP) e a Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social da capital paulista apuram as causas do incêndio, mas pesquisadores afirmam que o que foi perdido jamais poderá ser recuperado.

A coleção foi iniciada em 1901, pelo cientista Vital Brasil, fundador do Butantan. Além das cobras contava com cerca de 450 mil aranhas e escorpiões. O brasileiro foi quem descobriu que para a picada de cada espécie de cobra, deveria ser aplicado um veneno específico.

Desses animais, era recolhido material para estudos de DNA, para acompanhar a evoluçãode suas espécies, checar como o meio ambiente influencia na evolução, conferir as novas espécies que estão surgindo e saber como era a fauna brasileira no começo do século passado. Depois disso eles eram sacrificados de forma que não danificasse sua estrutura. Em seguida, era injetado formol. Após dois dias, ele era mergulhado no álcool. Com o tempo, conforme perde suas propriedades, o álcool era trocado por um novo.

Funcionários e pesquisadores do Instituto Butantan  recuperam uma pequena parte do acervo atingido pelo fogo do último sábado. O incêndio de um dos galpões do Instituto Butantan cobras do mundo, iniciada há 120 anos.

Ainda não há o número exato de exemplares queimados. Alguns estavam emprestados para instituições em outros países. E, além disso, outros exemplares conseguiram “sobreviver” às chamas. Ao longo dos dias, funcionários estarão retirando os exemplares do prédio e catalogando-os.

Fonte e fotos: Google e Globo.com

Mais que companheiro, essencial

Amigo, divertido e grande companheiro, o cachorro também, tem outras funções

 

Por Erika Gracy

Mais do que a popularidade ou beleza existem características principais que possivelmente destacam a personalidade do animalzinho.
Uns são mais dóceis e carinhosos , outros ágeis e grandes caçadores e até mesmo cães de guarda que impedem a presença de intrusos.

Conhecer a função original do bichinho é fundamental para satisfação de um bom relacionamento que pode durar por muitos anos.

Para evitar que possíveis problemas de comportamento surjam e aproveitar tudo de melhor que o animalzinho pode oferecer, independente de qual for a raça, o importante é que o bichinho sempre seja amado, saudável e confiante em seu dono.

Animais São Resgatados Nos Estados Unidos

                                                       

Foto de um cavalo muito magro, vítima de maus-tratos

Em uma fazenda nos Estados Unidos, 49 cavalos e bois foram resgatados, em uma situação muito triste, todos tinham diferentes graus de desnutrição e maus-tratos. Entre eles 17 animais foram encontrados mortos, sendo dez cavalos e sete bovinos.

Os cavalos encontrados estavam pesando em média 90 kg, sendo que o peso apropriado é de 350 a 500 kg.

 Há uma regra básica, para calcular a quantidade total de alimento que o cavalo deve receber por dia. A quantidade máxima diária de alimento que o cavalo deve receber fica entre 2% e 2,5% de seu peso corporal total. O ideal é que esta quantidade gire em torno de 2%, quantidades maiores só devem ser aplicadas a cavalos que tenham uma verdadeira dificuldade de manter peso. Um cavalo de 500 kg deve receber uma quantidade total de alimento de 10 kg por dia.

Os animais resgatados foram levados para Days End Farm Horse Rescue.

Se você quizer ajudar a Days End Farm Horse Rescue com doações é só entrar no site:  http://www.defhr.org/

Por Jaqueline Santos

A primeira fotografia

Por Jaqueline Santos

Cocoricó, cocoricó… quando se escuta esse típico som de galo, certamente a primeira coisa que pensamos é em uma fazenda ou sítio que todas as manhãs despertam com o som do animal. Eu não moro em fazenda, nem sítio, muito menos no interior, sou “paulista da gema”, mas também tive o privilégio dessas manhãs rotineiras de interior com direito a despertador ambulante e extremamente ecológico!

Ainda não deu pra entender?

Eu, Jaqueline, 20 anos moro na grande metrópole desde que nasci.

Ele, Galizé, extremamente dócil e acreditem, achava ele mais esperto que muitos cachorros por aí…

Nossa história começou quando eu tinha uns dois anos de idade, uma criança, é claro, mas eu sabia que já tinha um grande companheiro! Por muitas e muitas manhãs seus intermináveis cocoricó’s me despertavam de um sono tão pesado… Confesso que tenho bastante saudade dessa época.

Eu e Galizé fazíamos tudo juntos, dizem por aí que toda criança tem um amigo imaginário… no meu caso, meu confidente era ele. Foram anos de amizade que conquistamos, tantas histórias tenho pra contar, engraçadas, dramáticas… é pena que tudo na vida tem começo, meio e fim…

Lembro que uma vez minha mãe me colocou de castigo, eu já tinha uns 5 ou 6 anos de idade, pode até parecer irônico, mas o que aconteceu de fato é que meu galo ficou no aconchego do meu colo enquanto eu calejava meus joelhos sobre o milho num canto qualquer da cozinha. A cena foi tão engraçada que minha mãe logo me aboliu do castigo porque não conseguiu manter a autoridade na hora e caiu na gargalhada.

O que jamais vai sair da minha memória foi a primeira vez que fotografei ao lado do meu galo, aliás, da minha memória e do meu mural! Hoje, após 16 anos da foto ela ainda está lá intacta, presa no mural de alumínio azul com um imã. Eu tinha uns 4 anos, estava eufórica… fotografia era uma coisa bem mais rara do que hoje em dia. Não era todo dia que a gente tinha a oportunidade de registrar os momentos; Minha mãe pediu que eu subisse em cima do sofá para que a foto ficasse num ângulo melhor, mais nítido… depois foi a vez de Galizé, que tratou de se posicionar bem ao meu lado e fez o maior charme para sair na foto! Ah… aquele galo era mesmo um engraçadinho…

“Click!” – Pronto Jaque!

Eu estava realmente orgulhosa! Tudo bem que todos debochavam de mim, aliás, isso acontece até hoje quando eu falo sobre meu galo; mas o que importava mesmo, é que aquele momento foi eternizado, hoje eu olho pra foto e lembro dele com ternura, como quem olha para a foto de um amigo querido que a vida de alguma forma levou.

Eu ainda tenho muitos depoimentos para dividir com vocês, mas resumo que ter um galo de estimação pode até parecer ilário, esquisito, nojento.. Sim, eu sei já escutei muitos comentários do tipo. O fato é que o Galizé se adaptou de tal forma à minha família que até hoje sinto a falta dele. Já tentei criar outros animais mais “convencionais”, mas nenhum conquistou o espaço que ele tem até hoje. E afirmo, sem exageros e metáforas, que assim como todas as pessoas que passam pela nossa vida e nos ensinam algo, meu galo foi importante ao mesmo nível! Parte do que sou devo a ele…

« Older entries