Cães Entram Em Clima De Copa Do Mundo

                                                                                        Por Dayane Barreto

Com a copa do mundo da África cada vez mais próxima, as pessoas já estão entrando no clima, mas se você pensa que só as pessoas estão se produzindo, você está enganado, até os cães estão entrando na torcida. Além das roupas verdes e amarelas, eles podem ser enfeitados com tintas e alguns acessórios.

Pinturas temáticas em animais estão entre as novidades da 10ª edição da Rio Vet, um dos mais importantes eventos veterinários na América Latina.

O evento ensina como pintar seus animais para ficarem bonitos e torcer pelo Brasil com estilo.

Cães pintados para a Copa

Charlotte, a primeira poddle a ser pintada, ganhou uma tinta específica para cães, que não agride a pele dos animais. Que tem a duração média de quatro a cinco banhos. Para isso é preciso ter técnicas e habilidades.

Cães pintados para a Copa 2

Mas se você quer fazer a pintura em seu animal em casa, pode utilizar as famosas tintas em spray, a única diferença é que essas tintas saem no primeiro banho.

Além das tintas pode usar a criatividade e torcer com estilo, utilizando bandanas, acessórios, faixas e muito brilho.

A feira vai do dia 20 ao dia 22 de maio, é direcionada a profissionais, empresários e estudantes do ramo.

 

 

Para mais informações acesse o site www.riovet.com.br

Fonte e fotos: Globo.com

 

 

Serpentário do Instituto Butantan

                                                                                        Por Dayane Barreto

O Serpentário foi inaugurado em 1914 com o intuito de abrigar animais enviados ao Instituto Butantan, para se realizar as extrações dos venenos necessários para produção de soro, com o DNA desses animais. A prioridade inicial do Instituto era produzir soros antivenenos com especificidade para serpentes da América do Sul.

Hoje é produzido soros antitóxicos e antivenenos, soro antilonomia (lagarta que produz veneno fatal), antiveneno de abelha e soro anti-botulínico. Soros esses que hoje são oferecidos para todos os países.

 Jararaca e Jararaca pintada

O Serpentário atendia duas finalidades: local de manutenção dos animais e atração para o público visitante.

Hoje a maioria dos animais encontra-se alojado em salas climatizadas com cuidados adequados à finalidade de produção de venenos. Essa área foi reformada procurando oferecer aos animais uma ambientação parecida com seus ambientes naturais.

O centro de pesquisa biomédica da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo, o Butantan oferece atendimento aos acidentados por animais peçonhentos, como cobras, escorpiões, aranhas entre outros.

 

Mão na obra só no Butantan

A atividade realizada todas as quintas – feiras das 14h30 as 15h30, em frente ao serpentário, tenta promover aos visitantes o contato com as serpentes da fauna brasileira, com o objetivo de promover educação ambiental, tirar dúvidas sobre, seu comportamento e o que fazer em caso de acidentes com esses animais.

Endereço: Avenida Vital Brasil, 1500 – Butantã, Zona Oeste

telefone:3726-7222/3726-1505

De terças a domingos, das 9h as 16h30

Preços: Todas as quartas – feiras, a entrada é gratuita, os demais dias adultos pagam R$ 5,00, crianças de 7 a 12 anos e estudantes pagam R$ 2,00, família (casal mais dois filhos menores de 12 anos) paga R$ 5,00. Menores de 7 anos e maiores de 65 não pagam entrada.

Local possui estacionamento.

Para saber mais informações acesse: www.guiabutanta.com/butantan/oficial.htm

Fontes e fotos: www.butantan.gov.br

 

 

Incêncio No Instituto Butantan Destrói Acervo De Cobras

                                                                                       Por Dayane Barreto

O prédio que abrigava a maior coleção de cobras, aranhas e escorpiões do Instituto Butantan sofreu um incêndio no último sábado dia 15, o acervo tinha cerca de 85 mil exemplares. A Secretaria de Segurança Pública (SSP) e a Promotoria de Justiça do Patrimônio Público e Social da capital paulista apuram as causas do incêndio, mas pesquisadores afirmam que o que foi perdido jamais poderá ser recuperado.

A coleção foi iniciada em 1901, pelo cientista Vital Brasil, fundador do Butantan. Além das cobras contava com cerca de 450 mil aranhas e escorpiões. O brasileiro foi quem descobriu que para a picada de cada espécie de cobra, deveria ser aplicado um veneno específico.

Desses animais, era recolhido material para estudos de DNA, para acompanhar a evoluçãode suas espécies, checar como o meio ambiente influencia na evolução, conferir as novas espécies que estão surgindo e saber como era a fauna brasileira no começo do século passado. Depois disso eles eram sacrificados de forma que não danificasse sua estrutura. Em seguida, era injetado formol. Após dois dias, ele era mergulhado no álcool. Com o tempo, conforme perde suas propriedades, o álcool era trocado por um novo.

Funcionários e pesquisadores do Instituto Butantan  recuperam uma pequena parte do acervo atingido pelo fogo do último sábado. O incêndio de um dos galpões do Instituto Butantan cobras do mundo, iniciada há 120 anos.

Ainda não há o número exato de exemplares queimados. Alguns estavam emprestados para instituições em outros países. E, além disso, outros exemplares conseguiram “sobreviver” às chamas. Ao longo dos dias, funcionários estarão retirando os exemplares do prédio e catalogando-os.

Fonte e fotos: Google e Globo.com

Mais que companheiro, essencial

Amigo, divertido e grande companheiro, o cachorro também, tem outras funções

 

Por Erika Gracy

Mais do que a popularidade ou beleza existem características principais que possivelmente destacam a personalidade do animalzinho.
Uns são mais dóceis e carinhosos , outros ágeis e grandes caçadores e até mesmo cães de guarda que impedem a presença de intrusos.

Conhecer a função original do bichinho é fundamental para satisfação de um bom relacionamento que pode durar por muitos anos.

Para evitar que possíveis problemas de comportamento surjam e aproveitar tudo de melhor que o animalzinho pode oferecer, independente de qual for a raça, o importante é que o bichinho sempre seja amado, saudável e confiante em seu dono.

Animais São Resgatados Nos Estados Unidos

                                                       

Foto de um cavalo muito magro, vítima de maus-tratos

Em uma fazenda nos Estados Unidos, 49 cavalos e bois foram resgatados, em uma situação muito triste, todos tinham diferentes graus de desnutrição e maus-tratos. Entre eles 17 animais foram encontrados mortos, sendo dez cavalos e sete bovinos.

Os cavalos encontrados estavam pesando em média 90 kg, sendo que o peso apropriado é de 350 a 500 kg.

 Há uma regra básica, para calcular a quantidade total de alimento que o cavalo deve receber por dia. A quantidade máxima diária de alimento que o cavalo deve receber fica entre 2% e 2,5% de seu peso corporal total. O ideal é que esta quantidade gire em torno de 2%, quantidades maiores só devem ser aplicadas a cavalos que tenham uma verdadeira dificuldade de manter peso. Um cavalo de 500 kg deve receber uma quantidade total de alimento de 10 kg por dia.

Os animais resgatados foram levados para Days End Farm Horse Rescue.

Se você quizer ajudar a Days End Farm Horse Rescue com doações é só entrar no site:  http://www.defhr.org/

Por Jaqueline Santos

A primeira fotografia

Por Jaqueline Santos

Cocoricó, cocoricó… quando se escuta esse típico som de galo, certamente a primeira coisa que pensamos é em uma fazenda ou sítio que todas as manhãs despertam com o som do animal. Eu não moro em fazenda, nem sítio, muito menos no interior, sou “paulista da gema”, mas também tive o privilégio dessas manhãs rotineiras de interior com direito a despertador ambulante e extremamente ecológico!

Ainda não deu pra entender?

Eu, Jaqueline, 20 anos moro na grande metrópole desde que nasci.

Ele, Galizé, extremamente dócil e acreditem, achava ele mais esperto que muitos cachorros por aí…

Nossa história começou quando eu tinha uns dois anos de idade, uma criança, é claro, mas eu sabia que já tinha um grande companheiro! Por muitas e muitas manhãs seus intermináveis cocoricó’s me despertavam de um sono tão pesado… Confesso que tenho bastante saudade dessa época.

Eu e Galizé fazíamos tudo juntos, dizem por aí que toda criança tem um amigo imaginário… no meu caso, meu confidente era ele. Foram anos de amizade que conquistamos, tantas histórias tenho pra contar, engraçadas, dramáticas… é pena que tudo na vida tem começo, meio e fim…

Lembro que uma vez minha mãe me colocou de castigo, eu já tinha uns 5 ou 6 anos de idade, pode até parecer irônico, mas o que aconteceu de fato é que meu galo ficou no aconchego do meu colo enquanto eu calejava meus joelhos sobre o milho num canto qualquer da cozinha. A cena foi tão engraçada que minha mãe logo me aboliu do castigo porque não conseguiu manter a autoridade na hora e caiu na gargalhada.

O que jamais vai sair da minha memória foi a primeira vez que fotografei ao lado do meu galo, aliás, da minha memória e do meu mural! Hoje, após 16 anos da foto ela ainda está lá intacta, presa no mural de alumínio azul com um imã. Eu tinha uns 4 anos, estava eufórica… fotografia era uma coisa bem mais rara do que hoje em dia. Não era todo dia que a gente tinha a oportunidade de registrar os momentos; Minha mãe pediu que eu subisse em cima do sofá para que a foto ficasse num ângulo melhor, mais nítido… depois foi a vez de Galizé, que tratou de se posicionar bem ao meu lado e fez o maior charme para sair na foto! Ah… aquele galo era mesmo um engraçadinho…

“Click!” – Pronto Jaque!

Eu estava realmente orgulhosa! Tudo bem que todos debochavam de mim, aliás, isso acontece até hoje quando eu falo sobre meu galo; mas o que importava mesmo, é que aquele momento foi eternizado, hoje eu olho pra foto e lembro dele com ternura, como quem olha para a foto de um amigo querido que a vida de alguma forma levou.

Eu ainda tenho muitos depoimentos para dividir com vocês, mas resumo que ter um galo de estimação pode até parecer ilário, esquisito, nojento.. Sim, eu sei já escutei muitos comentários do tipo. O fato é que o Galizé se adaptou de tal forma à minha família que até hoje sinto a falta dele. Já tentei criar outros animais mais “convencionais”, mas nenhum conquistou o espaço que ele tem até hoje. E afirmo, sem exageros e metáforas, que assim como todas as pessoas que passam pela nossa vida e nos ensinam algo, meu galo foi importante ao mesmo nível! Parte do que sou devo a ele…

Denuncie Maus-Tratos Contra Animais

                                                                                          Por Érika gracy

Para denunciar maus-tratos a animais, qualquer pessoa pode fazer um Boletim de Ocorrência junto à delegacia de polícia mais próxima ao local do fato. O responsável pelos maus-tratos deve ser identificado juntamente com seu endereço que deve ser registrado. Outra maneira de denunciar é encaminhar o caso a uma associação ou ONG de proteção animal.

Para saber mais procure a delegacia ou ONG de proteção animal mais próxima da sua casa.

No Chile, Cadela Sobrevive Após Queda de 80 metros

                                                                                          Por Dayane Barreto

Maus – tratos a animais são vistos em todos os lugares, isso revela que a crueldade humana não tem limites. Charlot uma filhote de mais ou menos sete meses, foi atirada de uma altura de 80 metros, do vigésimo segundo andar do apartamento de seu tutor. Apesar da queda, a cachorrinha sobreviveu, mas com várias fraturas e ferimentos.

A cadelinha foi encontrada por um vizinho do condomínio, que no inicio pensou em um acidente, o animal poderia ter caído da varanda, mas uma investigação foi feita pela Brigada de Crimes Ambientais e logo descobriram que ela tinha sido jogada pelo seu tutor, que alegou estar embriagado e a cadela estava incomodando, por isso a chutou fazendo a cair da varanda.

Charlot foi encaminhada a um veterinário, onde se recupera de nove fraturas e várias contusões, além da bacia e as patas traseiras quebradas.

O tutor de Charlot vai passar por uma audiência, onde será dada uma sentença para o crime de maus – tratos, se condenado poderá pegar uma pena de até três anos de prisão, se não tiver antecedentes criminais poderá responder em liberdade ou ser condenado a apenas pagamento de multa.

Fonte: Anda( Agência de notícias de direitos animais)

Sete Dicas Básicas Para Adestrar Seu Animal

                                                                                 

                                                                                      Por Dayane Barreto

Existem raças que assimilam os ensinamentos com mais facilidade do que outras. Persistência e paciência são fundamentais para um bom adestramento. Confira aqui as melhores dicas para você mesmo adestrar o seu animal:

1 – Idade: Filhotes aprendem com mais facilidade do que cães mais velhos.

2. Duração das aulas: Programe aulas com ,mais ou menos 40 minutos de duração, 30 minutos para os ensinamentos, e 10 minutos para descando do animal.

3. Acessórios: Você vai precisar de uma guia longa (mais ou menos 10m) e outra curta, com pouco mais de 1 metro. Nunca escolha enforcadores com espinhos ou feitos de couro.

4. Elogio e Punição: Na hora de elogiar o animal, fale com a voz mansa e alegre. Para punir, diga não, com uma voz forte, que mostre quem está mandando. Evite gritar.

5. Quando e onde dar as aulas: Escolha um local espaçoso, pouco movimentado e perto de casa. Use sempre o mesmo local, suspensa as aulas em dias muito quentes ou que o cão estiver indisposto, as aulas devem ser feitas antes das refeições.

6. Conselhos: Use sempre os exercícios na mesma ordem, elogio o cão sempre que possível, fazendo isso você transformará o adestramento em uma atividade agradável para o animal.

7. Ensinando o comando “junto”: Ande com o cão colado ao seu corpo, ao seu lado. Se o cão se adiantar ou voltar, diga não e puxe-o para perto de você novamente. Caminhe em linha reta durante os primeiros 40 passos, e depois vire. Continue passeando com o cão, afrouxando a guia cada vez mais. Mude de velocidade e dê o comando “junto”.Depois que o cão estiver fera em curvas e retas, treine-o em ziguezagues e círculos.

Fonte : http://www.caocidadao.com.br/dicasadestramento.php

Fotos: Google

Cães e gatos podem doar sangue para salvar a vida de outros animais

Que tal levar seu cão para doar sangue?

Por Erika Gracy

Assim como nós, cães e gatos também podem doar sangue para salvar a vida de outros animais. Diferente dos humanos eles possuem 13 tipos sanguíneos, no entanto os bichos sofrem com a falta de doadores, a quantidade não é suficiente para atender a demanda.

O Hospital Veterinário da Universidade Anhembi Morumbi em São Paulo é um dos únicos a fazer a transfusão, mesmo assim são poucos os doadores.

O animal doador de sangue precisa ser  sadio, apresentar temperamento dócil, ter mais de 25 kg , idade entre um e oito anos, estar vacinado, vermifugado , e no caso da fêmea não estar gestante. Além disso, é feito o teste de compatibilidade necessário para garantir a segurança do animal que receberá a transfusão de sangue.

Mais informações: 2790-4642 ou 2790-4643

« Older entries Newer entries »